Textos marcado com ‘Problemas’

Faça alguma coisa

Esperando | © Christophe Villedieu

“Ou faça alguma coisa ou não faça. A palavra tentar não existe.”
por George Lucas

Certa vez, enquanto servia à Marinha, fui incumbido de executar uma determinada tarefa. Meu superior deu ordens explícitas sobre como proceder e pediu que eu começasse.

Esperando | © Christophe Villedieu

Esperando | © Christophe Villedieu

Antes de deixar a sala, inconscientemente, tentei antecipar que poderia haver problemas e que a tarefa talvez não pudesse ser executada. Claro, não precisei falar tanto para transmitir essa mensagem, bastou dizer “vou tentar”.

Naquele momento, meu superior, sentindo minha reticência em cumprir a tarefa, disse assim: “Ou você faz ou não faz. Não existe ‘tentar'”. Tenho certeza de que ele não conhecia a frase de George Lucas citada acima, mas o significado foi tão importante quanto.

Para mim, aquelas poucas palavras bastaram para nortear muitas de minhas atitudes até hoje e para o resto de minha vida. Com esta consciência, consigo observar a falta de compromisso que permeia nossa sociedade.

Ninguém mais assume responsabilidade e vive como se qualquer coisa bastasse. Essas pessoas usam excessivamente a palavra “tentar” em seu vocabulário e a intenção disto é minimizar a perda, tornar menos doloroso o fracasso. Isto é mediocridade e não devemos corroborar com tal linha de pensamento.

O mundo todo cultua os atletas com suas lições de superação e vitória. O que muito não conseguem perceber é que o único intuito de um atleta é a vitória. Já foi dito que a conhecida frase “o importante é competir” é só para os perdedores.

A verdade é que ninguém entra numa competição apenas para participar. Os atletas de ponta querem ganhar e treinarão mais e mais para conseguir isto.

Não engane a si mesmo. Não viva a vida “tentando”. Faça ou não faça. Sem desculpas.

Meu nome é Lucio Antoniolo e eu não tento. Eu faço.

Reforme a sua vida

Reforme sua vida

Quantos de nós estão insatisfeitos com os rumos do relacionamento, da carreira ou da saúde e partem para a ação buscando reformar o que não lhes agrada?

Reforme sua vida

Reforme sua vida

Por observação, percebo que a maior parte de nós costuma não enfrentar o que nos incomoda, fingimos não perceber aqueles quilos a mais, a carreira que não avança, o dinheiro que teima em faltar todo mês, a saúde que não melhora ou o casamento que vai de mal à pior.

Parece que os problemas precisam chegar a um nível insuportável para tomarmos providências a respeito.

O que muitos não percebem é que um pequeno problema pode influenciar negativamente toda sua vida. Aquilo que chamamos de “Paz de Espírito” é perturbado quando postergamos a solução dos problemas. É como uma pequena farpa no dedo: ainda que esqueçamos temporariamente dela, sempre voltaremos a nos lembrar quando a tocarmos sem querer.

Não perca tempo escondendo os problemas, eles existem para que os encaremos e os vençamos. Como estímulo, vale lembrar que a cada problema vencido ficamos mais fortes e mais sábios. Enfrentar os problemas nos faz analisa-los e dimensionar o esforço real que precisamos para supera-los.

Comece pelas pequenas coisas erradas na sua vida que lhe incomodam, veja o que lhe desagrada e faça um pequeno plano para conserta-la. Estipule prazos e alguns “pontos de checagem”. Estes pontos de checagem vão lhe dar a noção se tudo está correndo como esperado. Pode ser uma avaliação do seu peso (se estiver querendo emagrecer), da pressão arterial (se estiver querendo diminuir a hipertensão) etc.

Se as coisas não estiverem caminhando como deseja, reveja o seu plano, altere o que precisar para atingir seu objetivo, mas, NÃO DESISTA! Ninguém lhe disse que seria fácil vencer, mas muitos nomes de sucesso da História tiveram a perseverança como principal característica.

Por fim, parabenize-se por cada pequena conquista. E não espere que alguém note sua conquista, isso pode ser extremamente desmotivador.

Meu nome é Lucio Antoniolo e eu persisto!

Saia do porto

Barco seguro no porto

“Um barco está seguro no porto. Mas os barcos não são feitos para isso.”
por John A. Shedd

Quantos de nós estão insatisfeitos com os rumos do relacionamento, da carreira ou da saúde e partem para a ação buscando reformar o que não lhes agrada?

Um barco está seguro no porto

Um barco está seguro no porto, mas foi para isso que foram feitos?

Por observação, percebo que a maior parte de nós costuma não enfrentar o que nos incomoda, fingimos não perceber aqueles quilos a mais, a carreira que não avança, o dinheiro que teima em faltar todo mês, a saúde que não melhora ou o casamento que vai de mal à pior.
Parece que os problemas precisam chegar a um nível insuportável para tomarmos providências a respeito.
O que muitos não percebem é que um pequeno problema pode influenciar negativamente toda sua vida. Aquilo que chamamos de “Paz de Espírito” é perturbado quando postergamos a solução dos problemas. É como uma pequena farpa no dedo: ainda que esqueçamos temporariamente dela, sempre voltaremos a nos lembrar quando a tocarmos sem querer.
Não perca tempo escondendo os problemas, eles existem para que os encaremos e os vençamos. Como estímulo, vale lembrar que a cada problema vencido ficamos mais fortes e mais sábios. Enfrentar os problemas nos faz analisa-los e dimensionar o esforço real que precisamos para supera-los.
Comece pelas pequenas coisas erradas na sua vida que lhe incomodam, veja o que lhe desagrada e faça um pequeno plano para conserta-la. Estipule prazos e alguns “pontos checagem”. Estes pontos de checagem vão lhe dar a noção se tudo está correndo como espera. Pode ser uma avaliação do seu peso (se estiver querendo emagrecer), da pressão arterial (se estiver querendo diminuir a hipertensão) etc.
Se as coisas não estiverem caminhando como deseja, reveja o seu plano, altere o que precisar para atingir seu objetivo, mas, NÃO DESISTA! Ninguém lhe disse que seria fácil vencer, mas muitos nomes de sucesso da História tiveram a perseverança como principal característica.
Por fim, parabenize-se por cada pequena conquista. E não espere que alguém note sua conquista, isso pode ser extremamente desmotivador.

Meu nome é Lucio Antoniolo e eu sou mais um cara que acredita!

Siga seus próprios conselhos

caminhos_a_seguir_p

Antes tudo, quero dizer que o título deste artigo NÃO É uma afronta, ou ‘um fora’ do tipo ‘tome conta da sua vida!’. Quem não olhar de perto, vai parecer que eu não quero saber do que os outros pensam, do que eles podem dizer ou fazer pra me ajudar a encontrar o melhor caminho diante de certas situações. De maneira nenhuma! Acredito que as pessoas podem contribuir para a solução de problemas umas das outras. Porém, minha intenção é que esse artigo funcione mais como uma motivação, um estímulo pra você e eu fazermos exatamente isso: seguir nossos próprios conselhos. Digo isso porque muitas vezes é disso que eu preciso. Muitas vezes é disso que todo mundo precisa.

Há um filme do Rambo, no qual tem uma cena em que ele acabou de ser ferido por uma flecha, no meio da selva, e precisa tratar esse ferimento. Naturalmente, não havia nenhum posto de saúde por perto, e ele resolve desinfetar a ferida de um jeito muito peculiar: abre um projétil, retira a pólvora, põe dentro da ferida e simplesmente ATEIA FOGO. Dá um berro daqueles, deve ter sentido uma dor terrível, mas fez o que tinha que ser feito.

Saber para onde ir

Saber para onde ir

Na verdade, na nossa vida, na nossa caminhada nessa terra, muitas vezes já sabemos o que fazer, onde ir, que decisão tomar. É claro que não é sempre: tem horas que estamos mesmo no meio de um furacão. Porém muitas vezes sim, sabemos o que fazer. Mas não o fazemos!

Por que? O que nos impede de seguir o conselho que NÓS daríamos a alguém na mesma situação? Por que não escutar a própria voz, ou a Voz de Deus no nosso coração, dizendo pra fazer o que é melhor, e não o que é mais fácil, ou mais prazeroso, ou de resultado mais imediato?

Quantas vezes estamos no meio de uma determinada situação e dizemos que não sabemos o que fazer, quando na verdade, sabemos EXATAMENTE o que fazer. Eu já estive assim. Hoje, vejo que, se eu simplesmente imaginar alguém na mesma situação e qual conselho eu daria a essa pessoa, eu já terei a resposta. Mas não temos coragem de tomar certa decisão ou certa atitude, porque aquilo nos custará algo: trabalho (não vai ser fácil!), dor (não vai dar prazer!) ou paciência (o resultado não vai ser imediato!). O grande evangelista, C.S. Lewis, conhecido por seus livros da série As Crônicas de Nárnia, disse certa vez que ‘Coragem não é simplesmente uma das virtudes, mas a forma de toda virtude no momento de prova“. Isso significa que não importa se temos os melhores conceitos, as melhores palavras, o melhor entendimento diante das circunstâncias se, na hora de colocá-los em prática, não temos coragem de fazê-lo. De ser generoso, de ser forte, de ser honesto, de ser leal, de ser disciplinado…

Qual é a situação que você vive hoje? Ela realmente é um beco sem saída pra você? Ou você simplesmente não quer admitir que precisa enfrentá-lo com coragem? Porque, provavelmente, você já tem a resposta. E creia, se você não sabe COMO fazer o que tem que fazer, Deus está sempre pronto a te ensinar. A Bíblia diz que o Ele instrui e ensina o caminho que devemos seguir (Salmo 32:8).

Portanto não adie mais… faça o que tem que ser feito.

Siga seus próprios conselhos!

Meu nome é Rodrigo Santos e eu também acredito!

A parábola da vaca

parabola_da_vaca_p

Um sábio mestre e seu discípulo andavam pelo interior do país há muitos dias e procuravam um lugar para descansar durante a noite. Avistaram, então, um casebre no alto de uma colina e resolveram pedir abrigo àquela noite. Ao chegarem ao casebre, foram recebidos pelo dono, um senhor maltrapilho e cansado. Ele os convidou a entrar e apresentou sua esposa e seus três filhos.
Durante o jantar, o discípulo percebeu que a comida era escassa até mesmo para somente os quatro membros da família e ficou penalizado com a situação. Olhando para aqueles rostos cansados e subnutridos, perguntou ao dono como eles se sustentavam.
O senhor respondeu:

Parábola da vaca

Parábola da vaca

– Está vendo àquela vaca lá fora? Dela tiramos o leite que consumimos e fazemos queijo. O pouco de leite que sobra, trocamos por outras mercadorias na cidade. Ela é nossa fonte de renda e de vida. Conseguimos viver com o que ela nos fornece.
O discípulo olhou para o mestre que jantava de cabeça baixa e terminou de jantar em silêncio.
Pela manhã, o mestre e seu discípulo levantaram antes que a família acordasse e preparavam-se para ir embora quando o discípulo disse:
– Mestre, como podemos ajudar essa pobre família a sair dessa situação de miséria?
O mestre então falou:
– Quer ajudar essa família? Pegue a vaca deles e empurre precipício abaixo.
O discípulo espantado falou:
– Mas a vaca é a única fonte de renda da família, se a matarmos eles ficarão mais miseráveis e morrerão de fome!
O mestre calmamente repetiu a ordem:
– Pegue a vaca e empurre-a para o precipício.
O discípulo indignado seguiu as ordens do mestre e jogou a vaca precipício abaixo e a matou.
Alguns anos mais tarde, o discípulo ainda sentia remorso pelo que havia feito e decidiu abandonar seu mestre e visitar àquela família.
Voltando a região, avistou de longe a colina onde ficava o casebre, e olhou espantado para uma bela casa que havia em seu lugar.
– De certo, após a morte da vaca, ficaram tão pobres e desesperados que tiveram que vender a propriedade para alguém mais rico. – pensou o discípulo.
Aproximou-se da casa e, entrando pelo portão, viu um criado e lhe perguntou:
– Você sabe para onde foi à família que vivia no casebre que havia aqui?
– Sim, claro! Eles ainda moram aqui, estão ali nos jardins. – disse o criado, apontando para frente da casa.
O discípulo caminhou na direção da casa e pôde ver um senhor altivo, brincando com três jovens bonitos e uma linda mulher. A família que estava ali não lembrava em nada os miseráveis que conhecera tempos atrás.
Quando o senhor avistou o discípulo, reconheceu-o de imediato e o convidou para entrar em sua casa.
O discípulo quis saber como tudo havia mudado tanto desde a última vez que os viu.
O senhor então falou:
– Depois daquela noite que vocês estiveram aqui, nossa vaquinha caiu no precipício e morreu. Como não tínhamos mais nossa fonte de renda e sustento, fomos obrigados a procurar outras formas de sobreviver. Descobrimos muitas outras formas de ganhar dinheiro e desenvolvemos habilidades que nem sabíamos que éramos capazes de fazer.
E continuou:
– Perder aquela vaquinha foi horrível, mas aprendemos a não sermos acomodados e conformados com a situação que estávamos. Às vezes precisamos perder para ganhar mais adiante.
Só então o discípulo entendeu a profundidade do que o seu ex-mestre o havia ordenado fazer.

Procure em sua vida se não há uma vaquinha para empurrar no precipício ou se alguma já caiu e você não percebeu que foi algo bom.
Perder um emprego, acabar um relacionamento e outras tantas outras coisas traumáticas são como marcos em nossas vidas, servem para mostrar que você passou por ali e sobreviveu, ficou melhor e mais forte.
Se sua vida mudou por uma circunstância dessas, agradeça. Mesmo que pareça ruim agora, tudo leva a um caminho melhor, só depende de como você vê.

Meu nome é Lucio Antoniolo e eu sou mais um cara que acredita!

Você só reclama?

Diga olá

“A maioria das pessoas gastam mais tempo e energia ao falar dos problemas do que ao enfrentá-los.”
por Henry Ford

Diga um oi

Diga olá

Tem gente que passa a vida inteira reclamando que não teve oportunidade, falando sobre como a vida é difícil e sonhando com uma vida melhor. Não que sonhar com uma vida melhor seja ruim, pelo contrário. Sonhar nos faz sintonizar em nossos pensamentos o que desejamos.

O problema está na reclamação, em como as palavras que dizemos se tornam verdade ao proferí-las com convicção. Muitos não entendem muito bem como funciona essa força, mas afirmam que realmente as palavras tem poder. Na verdade, não há nada de sobrenatural ou mágico nessa afirmação, nossos pensamentos são guiado por vezes pelo que costumamos dizer.

Aí é que está a maior parte dos problemas de nossas vidas. Se as palavras são como sementes que plantamos, que frutos você imagina que irá colher de uma árvore chamada “raiva” ou “amargura”?

Viver não é fácil mesmo, mas viver falando sobre tristezas, dificuldades e ódio não ajudam em nada. Se as palavras que saem da sua boca forem ditas com verdade, você poderá influenciar sua vida e de outras pessoas negativamente.

Há uns anos atrás, entendi que as pessoas não querem saber de seus problemas quando perguntam “como vai você?”. Muita gente não percebe que este é apenas um cumprimento que se segue ao “Oi!” ou “Olá!” e serve apenas para iniciar uma conversa. Mas tem gente que já emenda logo: “Ah! Vai mais ou menos, tive um problema assim ou assado…”.

Não preciso nem dizer como se sente o interlocutor tendo que lidar com uma pessoa negativa dessas logo de cara. Ele pode até se importar com seus problemas e querer lhe ajudar, mas entrar na conversa despejando os problemas nos outros não é agradável.

Se o peso de seus problemas estiverem lhe incomodando, procure ajuda e diga ao outro o que espera dele, se é um desabafo ou um conselho.

Dá próxima vez que encontrar alguém, não comece pelos problemas.

Meu nome é Lucio Antoniolo, e eu sou mais um cara que acredita!

Quem você é agora?

Quem é você agora?

É possível que neste exato momento de sua vida você esteja sentindo-se incapaz, achando que não pode alcançar seus sonhos. Você pode não estar enxergando a saída para seus problemas ou pensando que nunca mais terá paz.

O pior é que isso tudo pode ser verdade, você realmente pode continuar a viver sua vida exatamente como tem feito. O que você faz hoje é reflexo de tudo que fez no passado. Seus medos, suas virtudes, suas manias, seu humor e tudo mais que possa observar em você, só é possível existir hoje porque você incorporou isso ao seu ser com o passar dos anos.

Quem é você agora?

Quem você é agora?

Cada experiência vivida contribui para mudar você um pouco mais; para o bem ou para o mal. O que torna a experiência boa ou ruim é como você a trata. Se algo de ruim lhe acontece, você pode escolher ser afetado ou não. Literalmente.

Enquanto estivermos vivos, não há como fugir dos problemas da vida. Falo só dos problemas porque ninguém reclama de ter recebido dinheiro, conseguido um emprego melhor ou comprado aquele bem que desejava, ou reclama?! Reclama sim. E este é o ponto: tem gente que reclama de ter coisas boas, da mesma forma que tem gente que reclama de coisas ruins.

Tudo está na forma que você recebe as coisas que lhe ocorrem. Se você reclama de coisas ruins, estará dando atenção a elas, fazendo-as se tornarem maiores que são. E nesse momento você já terá marcado sua vida negativamente, será mais uma memória (ainda que inconsciente) que lhe limitará futuramente. Essa marca poderá se tornar um medo infundado, um preconceito ou uma mania.

Então, quando estiver de frente para um problema ou se sentindo incapaz pare e pense se sua dificuldade de resolver determinado problema se deve a alguma atitude limitadora de seu passado. Pode ser que o problema seja algo realmente novo, mas a falta de capacidade de sair dele provavelmente estará ligada a algo que você não soube lidar na sua vida.

Meu nome é Lucio Antoniolo, e eu sou mais um cara que acredita!

Powered by WordPress | Designed by: All Premium Themes Online. | Thanks to Top Bank Free Premium WordPress Themes, wordpress themes 2012 and Premium Themes